Projeto Cultivando Saberes

Prof Gabriel Portugal Sorrentino

CULTIVANDO SABERES: EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL PARA ESCOLAS SUSTENTÁVEIS

              O projeto “Cultivando saberes: educação socioambiental para escolas sustentáveis” desenvolve uma série de ações relacionadas à questão da sustentabilidade socioambiental no Colégio Estadual Leôncio Correia, uma escola pública localizada no município de Curitiba (PR)-Brasil, a fim de promover a transformação da escola em um espaço educador sustentável.

             Vencedor nacional no desafio Escolas Sustentáveis, promovido pela ONU e organizado pelo Instituto Akatu, que visa promover a temática da sustentabilidade na Educação Básica, a escola recebeu um financiamento de R$ 105 mil para desenvolver as ações previstas no plano de ação, cuja primeira etapa foi executada em 2020. 

           O desafio Escolas Sustentáveis integra um esforço global para promoção de formas sustentáveis de produção e consumo vinculado à agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, dentro do programa de Produção e Consumo Sustentáveis (10YFP) coordenado pelo One Planet Network.

https://sustainableschools.vision/

https://www.oneplanetnetwork.org/sustainable-lifestyles-and-education

http://www.agenda2030.com.br/

OBJETIVOS:

  • Construir um espaço educador sustentável que promova comportamentos e valores comprometidos com a sustentabilidade socioambiental em 4 dimensões: currículo, gestão, espaço físico e comunidade escolar;
  • Desenvolver e institucionalizar práticas pedagógicas interdisciplinares de ensino, pesquisa e extensão voltadas à questão socioambiental;
  • Transformar a escola em um centro de referência em sustentabilidade socioambiental, promovendo eventos e capacitando a comunidade escolar em relação ao tema;

O QUE SÃO ESCOLAS SUSTENTÁVEIS?

 “aquelas que mantêm relação equilibrada com o meio ambiente e compensam seus impactos com o desenvolvimento de tecnologias apropriadas, de modo a garantir qualidade de vida às presentes e futuras gerações. Esses espaços têm a intencionalidade de educar pelo exemplo e irradiar sua influência para as comunidades nas quais se situam. A transição para a sustentabilidade nas escolas é promovida a partir de três dimensões inter-relacionadas: espaço físico, gestão e currículo.” (Manual Escolas Sustentáveis – MEC 2013)

“trata-se de um local onde se desenvolvem processos educativos permanentes e continuados, capazes de sensibilizar o indivíduo e a coletividade para a construção de conhecimentos, valores, habilidades, atitudes e competências voltadas para a construção de uma sociedade de direitos, ambientalmente justa e sustentável. Uma escola sustentável é também uma escola que respeita os direitos humanos e a qualidade de vida e que valoriza a diversidade.” (Vamos cuidar do Brasil com escolas sustentáveis – MEC 2012)

CENTRO DE EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL

    O Centro de Educação Socioambiental é um espaço multifuncional integrado à área da escola, onde são desenvolvidas as atividades de vermicompostagem, horta escolar, captação e reuso da água da chuva, estação de energia solar, criação de abelhas nativas, entre outras. Planejado dentro dos princípios da bioconstrução, da permacultura e construído com tecnologias sustentáveis, sedia as atividades relacionadas à temática socioambiental, no formato de aulas, laboratórios, oficinas, encontros de formação, eventos e reuniões.

Esse espaço educador sustentável estrutura-se em dois pilares: o CONVÍVIO EDUCADOR e o CICLO DA VIDA

O convívio educador perpassa todas as etapas da vida, sem um final, é um ciclo. 

 O ciclo da vida representará outras possibilidades de vida e produção, quebrando com a ideia de uma economia/produção linear a partir da ideia de economia circular, em que tudo se transforma e se (re)aproveita, associada metaforicamente ao ciclo da natureza e do alimento como exemplo dessas relações (plantio/nascer, colheita/crescer, alimentação/reproduzir, compostagem/morrer e novamente plantio).

 

BNCC

O desenvolvimento do projeto se dará de forma interdisciplinar a partir do arcabouço teórico-metodológico das disciplinas componentes da Base Nacional Curricular Comum. Dessa forma, busca-se antecipar o que preconiza a BNCC no que tange à construção de um currículo interdisciplinar através de atividades colaborativas que favoreçam o protagonismo dos estudantes a partir de oficinas, laboratórios, incubadoras e núcleos de criação artística.

Além disso, pretende-se incentivar o desenvolvimento das habilidades e competências específicas previstas na BNCC, conforme as áreas de conhecimento, itinerários formativos, componentes curriculares e adequados à etapa de ensino (Fundamental II e Ensino Médio).

 

AÇÕES REALIZADAS EM 2020

    • CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL (sala verde, bioconstruções bambu e hiperadobe, canteiros circulares, horta, composteira, meliponário, banco solar, cisterna)
    • IMPLANTAÇÃO DE PROJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA (painéis fotovoltaicos, banco solar – didático, sistema telemetria; capacidade instalada 3,6 kWp; economia mensal aprox. R$ 300,00; ver relatório)
    • IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE CAPTAÇÃO E REUSO DE ÁGUA DA CHUVA (cisternas e tubulações com capacidade de armazenamento de 5600 litros)
    • REVITALIZAÇÃO DE LABORATÓRIO DE FÍSICA, QUÍMICA E BIOLOGIA (compra de estufa de secagem 30L, 2 microscópios, kit de reagentes, balança de precisão, estação metereológica)
    • CENTRAL DE RESÍDUOS (delimitação do espaço, aquisição de lixeiras e composteiras, início do PGRS – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos)
    • AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS (computadores, câmera fotográfica, microfones, projetor e mesa digitalizadora)
  • ESTRUTURAÇÃO SALA COM-VIDA (espaço de reuniões e coordenação do projeto)
  • SELEÇÃO DE GRUPO DE ESTUDANTES (para integrar a linha de frente do projeto)
    • ESTABELECIMENTO DE PARCERIAS (IDR-PR, ESTRE, UFPR)
    • FORMAÇÃO DE PROFESSORES E ESTUDANTES (curso sobre resíduos sólidos para profs; semana de diálogos 26 a 31/10 – palestras, oficinas, visita guiada online)
  • PLANTIO DE ESPÉCIES NATIVAS E HORTALIÇAS (mudas de araucárias, ipês, pitangueria, guavirova, mulungus, araçá, goiabeira, entre outras)
    • INÍCIO DO SISTEMA AGROFLORESTAL (preparação de terreno e adubação verde)
    • COMUNICAÇÃO E MARKETING (através de perfil no Instagram e Facebook)
  • APRESENTAÇÃO DO PROJETO EM SEMINÁRIO INTERNACIONAL ONU (junto a mais 8 países)
  • EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO E PRESTAÇÃO DE CONTAS (foram investidos R$ 104 828,42)
  • CONCLUSÃO DA PRIMEIRA ETAPA DO PROJETO (final da parceria com AKATU)

 

PLANEJAMENTO 2021

    • IMPLEMENTAR PLANO DE AÇÃO EM SUA TOTALIDADE (algumas atividades foram prejudicadas devido à pandemia e dependem do retorno presencial às aulas para sua efetiva implantação);
    • DESENVOLVER PARTE PEDAGÓGICA E CURRICULAR (elaborar material de subsídio para trabalho docente, baseado na BNCC e demais legislações pertinentes; incentivar o trabalho interdisciplinar);
    • ELABORAR PLANO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (gravimetria de resíduos, coleta seletiva, compostagem, equipar Central de Resíduos, formação de profissionais da limpeza, profs e estudantes; escola Lixo Zero, buscar certificações);
    • INSTITUIR COM-VIDA (Comitê de Meio Ambiente e Qualidade de Vida, formado por estudantes, professores e demais membros da comunidade escolas, de acordo com Programa Estadual de Educação Ambiental do PR e demais leis vigentes);
    • FIRMAR E DAR CONTINUIDADE A PARCERIAS (SMSAN-CTBA, UFPR, ESTRE, COPEL, SANEPAR, entre outros);
    • CRIAR EMPRESA JR. (para aplicação dos conhecimentos do curso técnico em Administração, gestão e geração de recursos do/para o projeto);
    • REFORÇAR LAÇOS COM A COMUNIDADE ESCOLAR (promoção de eventos, feiras e workshops)
    • INSTITUCIONALIZAR O PROJETO (incorporar ao PPP e PPC da escola, angariar apoio da SEED)
  • INVESTIR NA FORMAÇÃO DE ESTUDANTES E DOCENTES (promover cursos, oficinas, workshops, palestras, visitas de campo)
  • CONTINUAR MELHORIAS NO ESPAÇO DA ESCOLA (ampliar produção de energia fotovoltaica, instalações elétricas da Sala Verde, aperfeiçoar espaços de convivência, plantio de mais árvores, hortaliças e plantas, novos mobiliários em bambu – estufa, bancos, pirâmide)
  • TRANSFORMAR O CELC EM ESCOLA MODELO (criar mecanismos de avaliação, estabelecer marco zero, ajustar ações/atividades e compartilhar conhecimentos com outras escolas)




Centro de Educação Socioambiental

Meliponário

Energia Solar

Pluviômetro